Hoje, Brenda e eu estávamos preparando alguns materiais para uma palestra e uma oficina que serão dadas pela OxenTI Menina na Semana Nacional de Ciência & Tecnologia, aqui em Salvador (nacionalmente, de 23 a 29 de outubro, em 2017). Aí, uma vez mais nos pegamos nos batendo tentando lembrar de IDEs online para mostrar alguns códigos curtinhos, coisa rápida. Depois de quase não achar, lembrei que tinha feito um post em meu blog pessoa exatamente sobre isso, há um tempo atrás, depois de passar pelo mesmo problema. Então, segue ele, resgatado pra cá! [O texto abaixo foi originalmente publicado em 15 de março de 2017, em jufajardini.wordpress.com]

Uma observação: aí embaixo eu dizia que estava usando mais o codechef e gostando. Hoje, tentamos utilizá-lo sem fazer login, e após uma única submissão de código nossa “cota de submissões” acabou. Provavelmente só precisa se logar pra resolver, mas achei feio. u_u


Nos últimos tempos, por conta de uma mistura de fatores, voltei a me debruçar sobre programação não apenas como parte de meu trabalho, mas também estudando algoritmos e fazendo desafios (através do www.hackerrank.com, e até o momento tem sido uma experiência legal).

Como por preguiça estou sem ambiente de programação no computador de casa, estou buscando IDEs online quando preciso fazer testes para entender o que fez minha resposta aos desafios falharem. Buscando algumas, encontrei umas quantas que vão logo pedindo para nos cadastrarmos, antes de termos acesso à interface de programação. E encontrei duas (não fiz uma busca profunda) que têm a opção do cadastro, mas deixam você ir programar sem isso, se não se importar de correr o risco de perder seu código.

Para não perder o hábito de compartilhar coisas que considero úteis, e para não perder mais as ferramentas – pois hoje, quando precisei, já não sabia qual eu havia usado anteriormente, é que surgiu este post. Então, anota aí comigo:

Ambas permitem escolher dentre uma série de linguagens, e informam o compilador utilizado. Confesso que até o momento só usei a primeira, mas é sempre bom ter mais de uma opção. E, se você quiser algo mais robusto, pode usar o c9.io, que, dentre outras coisas, permite criar uma máquina virtual para rodar o código – se você está criando algo que é dependente do ambiente – digamos, por conta de restrições de memória, plataforma, sei lá – esta seria uma boa opção.

Então é isso! Continuo por aí. E por aqui. Vida longa e próspera.

Categorias: Dicas

Juliana Fajardini

Uma pessoa em busca de se encontrar. E em busca de encontrar seus lugares no mundo, e como contribuir para construir outros mundos possíveis. Bacharel em Sistemas de Informação, com experiência em análise e elaboração de projetos; revisão e tradução (inglês e português); metodologias para start ups; manutenção de software; LaTeX y otras cositas más. Gosto de pedalar, mover o corpo, ler, escrever, poesias, comer, cozinhar, compartilhar, ver lugares, conhecer pessoas... Estou na OxenTI Menina porque... me acolheram e sentiram que posso contribuir <3 E porque... acredito que é preciso envolver-se para que a vida faça sentido, no meio de tanta coisa sem sentido neste mundo...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *